nanoprep #04 – o primeiro ato

Terça eu tirei a manhã/dia para descobrir como seria o primeiro ato de Serpentkiller. Para os que não sabem, eu sigo a estrutura dos três atos nas minhas histórias.

Comecei listando as coisas que eu precisava fazer nesse primeiro ato:

  • Estabelecer os personagens (principalmente Noelle e Lieth);
  • Estabelecer o mundo/cultura dos attorias;
  • Estabelecer o que Noelle tem a perder caso ela falhe;
  • Mostrar como a vida de Noelle é normalmente;

Começando com os personagens, quais as coisas sobre Noelle que eu preciso mostrar para o leitor no primeiro ato? Suas crenças, claro, e suas características mais importantes, assim como habilidades necessárias para o desfecho da história.

A principal crença de Noelle é que todas as criaturas associadas às sombras (sournais, avrazas, serpentes) são maléficas. Suas principais características são que ela controla muito bem suas emoções/é séria, mas afetuosa com as pessoas próximas, orgulhosa e extremamente independente, além de uma guerreira excelente. Sabendo disso, fica mais fácil pensar em cenas onde posso mostrar a Noelle direito, exibindo cada um desses traços.

Para mostrar sua crença, usarei o gancho do último post: a cena onde ela confronta o cara falando sobre as serpentes e os sournais. Ou seja, essa cena servirá tanto para mostrar os indícios do conflito principal quanto a personalidade da protagonista.

Para mostrar as habilidades dela como guerreira, pensei em uma luta de brincadeira/treino com Seros, um amigo tanto dela quanto de Lieth que também seria um membro da guarda de Driatta. Essa é uma das primeiras cenas que me vieram, não exatamente por causa da luta com Seros, mas porque Enzio, o filho de Noelle e Lieth, entra na brincadeira também. Eu queria que isso mostrasse que Enzio é muito mais como Noelle do que como Lieth (ou seja, um guerreiro), já que é isso que eventualmente também leva a sua morte.

Sua seriedade/capacidade de controlar emoções foi um tanto mais difícil de mostrar justamente porque eu teria que mostrar isso o tempo todo. Ainda assim, eu queria uma cena que marcasse para o leitor o quão no controle Noelle sempre é e depois de bater com a cabeça contra a parede por alguns instantes me veio a ideia de fazer alguém provocá-la. Mas provocá-la com o quê?

Foi aí que eu me lembrei do passado dela. Lembra que eu disse que Noelle havia deixado seu vilarejo “por algum motivo”? Eu não tinha pensado direito em qual motivo seria esse, mas e se ela tivesse ido para Driatta justamente por causa do estigma que sua família ganhou após ser revelado que sua irmã era uma avraza? E se algumas pessoas em Driatta soubessem disso? E se alguém – alguém que não gosta de Noelle – resolvesse provocá-la sobre isso?

Ela manteria a calma durante toda a conversa, mas através da narrativa eu mostraria o leitor que na verdade ela está furiosa.

Duas características marcantes (orgulho e afetuosidade) eu escolhi mostrar apenas através de interações entre ela e a família/amigos, e sua cisma em ser independência vai aparecer em resposta a uma das características de Lieth.

Lieth é uma pessoa bem diferente de Noelle. Ele é mais aberto e amigável, por exemplo, o que eu escolhi mostrar em suas interações com Noelle, Enzio, Seros e Anya (outra amiga de ambos) ao invés de em uma cena específica. Lieth é, sem mais nem menos, uma pessoa manipuladora, mas ele é um manipulador benevolente, ou seja, ele não manipula as pessoas para seu próprio bem. Ele passa os sete livros de CF manipulando deus e o mundo para que seu reino sobreviva à guerra/fim do mundo, por exemplo, e apesar de ele não sair machucando ninguém as pessoas só descobrem que fizeram parte de seus esquemas bem depois de eles já terem acontecido.

(Lembra do meu post sobre conflito entre personagens? Lieth é o cara que coloca o Fulano no trono).

Lieth também é, como já mencionado, um escolar. Ele gosta de ler e de estudar sobre vários assuntos. Ele não gosta nem um pouco de se meter nas picuinhas dos Maedrions e como ele é relativamente novo (300 anos, mais ou menos), os Maedrions o deixam em paz pela maior parte do tempo – logo, sua vida é dedicada à família e aos seus estudos apenas.

A cisma de independência de Noelle aparece junto à tendência manipuladora de Lieth. Não que ele tenta manipulá-la (ele não sobreviveria a isso, acredito), mas sim porque ele manipula a pessoa que provocou Noelle na outra cena. Tive a ideia de que ele vem tentando fazer com que essa pessoa (que também é da guarda) seja transferida para outro posto há meses e que agora finalmente conseguiu, isso tudo, claro, para que Noelle pudesse ter um pouco de paz. De início Noelle não ficaria muito feliz com isso – ela é do tipo de pessoa que tem que fazer tudo sozinha sempre – mas eventualmente entenderia porque ele fez isso.

Sua indiferença em relação aos Maedrions eu escolhi mostrar nas cenas do festival que mencionei no último post. Ele sempre escolhe ficar longe da rainha, Zora, e de seus parentes, preferindo ficar com seus amigos/o povão mesmo. Já seu amor por livros/por estudar eu escolhi mostrar na cena onde Noelle treina com Seros – ele está lendo enquanto os dois treinam e prefere ficar bem longe da arena.

Ao definir o que preciso mostrar dos dois personagens fica mais fácil planejar as coisas que acontecem no primeiro ato. Só com o que tenho aqui já dá pra ver como a primeira parte do livro irá ficar:

  • Noelle ainda criança no covil da Serpente (prólogo)
  • Noelle e Seros treinando + Enzio
  • Noelle e o cara debatendo (ainda não sei qual dessas duas cenas virá primeiro).
  • Noelle & cia na estátua do dragão (para mostrar a religião dos attorias aka um pouco de worldbuilding)
  • Noelle sendo provocada (logo após deixar a estátua, provavelmente)
  • Noelle e Lieth conversando antes do festival (quando Lieth conta para ela sobre a pessoa lá sendo transferida de posto + um pouco de conversa sobre outras coisas para mostrar o relacionamento dos dois)
  • O festival + apresentação de Zora como rainha (para evidenciar o afastamento de Lieth dos Maedrions + introduzir a personalidade de Zora)
  • Chegada do mensageiro
  • Noelle falando com Lieth sobre a Serpente (provavelmente contando que foi ela quem a deixou viva?)
  • Refugiados chegam em Driatta
  • Reunião com Zora + proibição de deixar a cidade
  • Noelle se despedindo de Lieth e dos outros
  • Noelle deixa Driatta <- primeiro plot point

Ainda há coisas que eu quero inserir nisso, como: mais sobre as serpentes e os dragões, para explicar porque uma serpente aparecendo é um Big Deal; mais hints do que aconteceu com a irmã de Noelle, mas não toda a verdade para ver se consigo deixar os leitores curiosos; a lenda da Rainha Serpente*; um tremor e uma explicação rápida sobre o que são as tempestades de sombra.

E assim… puff, primeiro ato tecnicamente planejado. Só irei planejar as cenas quando eu for escrever de verdade, já que eu preciso “sentir” o ritmo da história para tomar algumas decisões.

Amanhã, portanto, partirei para o segundo ato ^^

*eu tenho um conto sobre a Rainha Serpente que talvez eu poste em breve!

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s